07/12/2009

If you only knew how to make wine!

Com tanto alarido das escutas, quer queiramos quer não com elas ou sem elas, aparece logo uma panóplia de 59 mil assuntos dúbios que até ao presente não têm explicação. Mas tanta coisa há que não tem explicação que se ficássemos a pensar nisso não fazíamos mas nada e estaríamos aqui até ao próximo século, o que em abono da verdade e não obstante o tempo passar a correr, não dava mesmo jeito algum. Mas isto sou eu, que tenho este turbilhão aqui dentro e que é tudo muito rápido muito depressa, por isso com licença que vou parar com estas deambulações. Bem, quer queiramos ou não vêm logo outros assuntos que estão (ou não?) ligados ao tema escutas - em rigor devia ser: "As Escutas? E Os Outros?". E também aparecem logo uma catrefada de dizeres, ah o que eu gosto de dizeres e dos dizeres. Já a tinha ouvido no Bloco Central de ontem pela voz engripada do Pedro Adão e Silva e achei graça, confesso. Muita graça. Mas graça maior teve quando hoje, assim mesmo out of the blue e a linha até é amarela vejam bem, uma senhora com alguma idade, insuspeita, sim que não sendo jornalista-comentador, juiz-advogado, árbitro-presidente de clube, cabeleireira-manicure (aquele cabelo e mãos não deixaram dúvidas) a diz! Não sou catalogadora de pessoas, que o não sou, mas sou uma rapariguinha muito atenta, que sou, ah pois sou! E acreditem, aquela senhora não é habitué da TêÉsseÉfe e muito menos ouve o Bloco Central ao Domingo de manhã ou na repetição de madrugada. "Olha para isto!", pergunta a ela mesmo na esperança de ouvir uma resposta. "Mais coisas das escutas? Já não posso olhar para os jornais", dizia ela enquanto folheava a publicação periódica e gratuita. E depois dizem que não há fogo sem fumo! Com franqueza, até parece que nunca abriram a porta do congelador!" Assim mesmo. Nem mais. O dizer que tanta graça teve e que ouvi no Bloco Central, foi ali dito por uma pessoa insuspeita. Ah grande Maria, if you only knew!

2 comentários:

Carlos Azevedo disse...

«E depois dizem que não há fogo sem fumo! Com franqueza, até parece que nunca abriram a porta do congelador!»

Uma pérola, Patrícia. Essa expressão é uma pérola. O que eu já ri não tem paga. (Já que o estado desta merda toda só dá vontade de chorar, pelo menos que haja com que rir um pouco.)

Beijos.

A Senhora disse...

Esta frase realmente merece um post! :)

beijos