03/06/2009

Luzes, atirem-me luzes

Para além das guerras diárias que todos nós travamos, a nível pessoal, profissional e até na escolha das cores da peça de roupa que se veste e que combinará com o sapato que se calça, ah pois que florinhas e passarinhos all day long ninguém os tem, estes últimos tempos têm sido maus, muito maus. O clima de guerra e tensão está a atingir o limite, que o cansaço e desencanto já nem se fala. 
Quem não perde tempo com isto e opta por assobiar para o lado, seja qual for a razão, pensa que tudo começou com a tão comentada entrevista no Jornal da Noite da TVI feita ao Bastonário Marinho Pinto pela jornalista Manuela Moura Guedes. Erro. Vamos por partes. Este clima não se sente só a partir daí, como também não se sente só desde o dia das eleições em Novembro de 2007.
A diferença maior é que agora o que se vive é capa de jornal, motivo de primeiras páginas, de conversas na mesa de café e de entrevistas a toda a hora. A entrevista, o triste espectáculo de 33 minutos, foi o iniciar de uma guerra que nos coloca contra ou a favor de alguém que deveria ser unificador de tudo quando as opiniões divergem. Quando a insegurança existe. Mas a nossa. Principalmente nosso. Não é pedir muito, pois não? Mas voltando ao espectáculo que foi a malograda entrevista na TVI e esqueçam a resposta que o jornalismo é mau, se o é não se aceita o convite porque não foi só com aquela entrevista e quando supostamente nos começa a correr mal porque nos confrontam com factos e declarações que nos incomodam, que nasce a opinião em relação ao trabalho de alguém!, esta segunda-feira, nos Prós e Contras, o espectáculo foi GENUINAMENTE deplorável. Bem esteve o meu Conselho Distrital que, não obstante ter sido convidado, declinou e não esteve presente. Realmente não é ali e muito menos assim que se trata dos problemas que se tem em casa. Da nossa Casa. Sim, eu continuo a acreditar que a Ordem é a Casa de todos. Infantil? Utópica? Crente? Sou assim mesmo. Ponto. Mas cada vez mais fico cansada com tudo isto. E pena tenho que quem vê de fora não consiga compreender este cansaço que sinto. 
Com a devida vénia e eu sei que me concedes, as linhas da Vera valem todas as letrinhas.

8 comentários:

JM Coutinho Ribeiro disse...

eheheheheh. Como sabe, não me meto nestas coisas, a não ser na parte em que vou por amizade. Mas sobre isso, conto-lhe um dia as hilariedades que me ocorrem :-)

Nicolina Cabrita disse...

Xiiiiii, e não é que agora me apercebi que ainda não linkei o blog da Vera ao meu «ângulo»! Vou já tratar disso.
Many thanks! :-)

Carlos Azevedo disse...

Olá, Patrícia!

Começo por transcrever um comentário que, há uns dias, deixei no blogue do Miguel Carvalho:

«Concordo com tudo o que escreveu, e nem imagina quanto. Neste país de paninhos quentes, quem tem personalidade forte e frontalidade suficiente para dizer o que pensa paga um preço elevado (mas, falo por mim, pago com gosto, e sequer imagino que pudesse ser de outra forma). Contudo, penso que Marinho Pinto, que comecei por apreciar apesar de estar afastado do dia-a-dia da Ordem dos Advogados há já alguns anos, se excedeu. Há formas e formas de falar e, muitas vezes, o uso indevido da forma prejudica o conteúdo; foi claramente o que aconteceu.»
[http://adevidacomedia.wordpress.com/2009/05/26/a-devida-na-visao-xxx/#comments]

E, de facto, assim penso. Não discuto as qualidades de Marinho Pinto como bastonário (estou afastado da O.A. há vários anos, pelo que desconheço o que por lá se passa), mas constato que é sobretudo atacado pela forma (e na entrevista à Moura Guedes a forma foi, de facto, má), e não pelo conteúdo, quando, sabemos bem, existem muitos advogados (com nome na praça) que são “do piorio”, mas têm outro “ar”, outra sofisticação, e passam por ser “uns senhores”.

Fica bem.

Um beijo,
Carlos

H disse...

Drª Trenga!
Apesar de o ser formalmente, há muito tempo que não me sinto advogado!
Não vi o combate MMG-MP: em minha casa não há TVI! Mas vi boa parte "daquela coisa na RTP de segunda à noite"!
E senti um misto de alegria com vergonha: vergonha de um dia ter sido advogado, alegria de já não o ser!
Fez bem o Porto em declinar! Porque aquilo só podia ser muito mau!
Não vou apontar quem são os anjos nem os demónios: até porque honestamente, do que vi, nada me pareceu angelical!
Como é que um classe como a "vossa" aceita passar pelo triste espectáculo de ir para a TV discutir problemas intestinais??!

Silvia FB disse...

Muito bem "dizido" minha querida!! Um beijo...imenso.

The Melg@ disse...

vamos meter a gaja deste blogue de propaganda do PSD como "bastonária". os problemas dos advogados ficavam logo resolvidos num instante. deves ser uma tipa muito especial que resolve os problemas todos em 5 minutos. precisamos de uma gajita assim! e tens a mania de criticar o sócrates neste pasquim a que chamas de "imenso", por isso tb devias ir para primeira-ministra.

Patricia Lousinha disse...

Espero que conte, Excelência!
Nada, ora essa, menina Excelência Nicolina!
Beijinhos Carlos, eu sei que me entendes!
Não percebo Hugo! O que sei é que o "meu" CD e o próprio CS não aceitaram o convite precisamente por entenderem que não era o sítio!
Obrigada, Sílvia! Beijinhos

Patricia Lousinha disse...

The Melg@, distúrbios gastrintestionais? KOMPENSAN S, faz favor.