01/04/2008

A crise está, em definitivo, instalada

"Imaginem uma tonelada de entulhos da construção. O País tem um problema grave de entulho. Imaginem agora outro tipo de entulho: uma tonelada de multas (à beira de prescrever) relativas à condução.
O País tem um problema sério com os automobilistas. Mas, felizmente, há Estado. E o Ministério do Ambiente e a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária estabeleceram valores para a resolução das respectivas anormalidades. No primeiro caso, fez-se um desconto: um novo diploma reduziu de 5 para 2 euros a taxa de depósito de cada tonelada de entulhos em aterros. É um incentivo à construção, em prol do ambiente. No segundo caso, contratou-se 32 advogados para acelerar as cobranças, impedindo a prescrição. Cada jurista ganhará 1,67 euros por multa ‘recuperada’. É um incentivo ao estudo do Direito."


Reza assim o Bilhete Postal da Leonor Pinhão, de 28 de Março, no CM.
Como não me canso de dizer, não percebo puto de futebol e sou do Boavista porque sim, ora! Ponto. 
As guerras, essas guerras, passam-me ao lado, se bem que quase todas as outras também. Sei que a Leonor Pinhão está ligada ao mundo das letras, História se não estou em erro. Que é casada com o João Botelho, realizador. Que é benfiquete. Que é, ou ficou amiga da escritora Salgado, esse ícone da literatura moderna de 5ª categoria. Que foi defensora, nem sempre defende os fracos e oprimidos, de D. Afonso Henriques, no programa Os Grandes Portugueses. Dizem-me que é de esquerda.
Sinceramente achava que já sabia tudo. Ou melhor, que já sabia o bastante. Erro. 
Depois de ler estas linhas tive a certeza que é, acima de tudo, uma pessoa devidamente esclarecida. E atenta.
Este valor, 1,67 euros, é uma autêntica vergonha. Realmente até as coisas inúteis da construção valem mais. 
E é sintomático ver, que mesmo assim, 680 advogados se candidataram.

5 comentários:

Pedro Aniceto disse...

Como diabo é que eu não dei com o jornal é que me faz confusão... (Mas eu li!)

Binha disse...

Incoerências!

ATA disse...

Não, aqui o que me assusta é a comparação...e os incentivos!!!

Patricia Lousinha disse...

Aqui o que assusta não é só a comparação, que já de si é má, nem só os incentivos.
O que assusta é ver que, independentemente da remuneração, houvesse 680 candidaturas. E digo independentemente da remuneração, porque não é por razões económicas que, um belo dia, se decide ser causídico. Isso vem mais tarde...
Assusta ver que a maioria dessas candidaturas vieram da classe "nova".
Assusta ver que serão advogados, 32 advogados, e que continuarão a ser Advogados, com inscrição em vigor, e não simples juristas. Profissão que deveriam ter, enquanto este protocolo, estivesse em "vigor".
Advogados que estarão a "supervisionar" multas.
Multas que correm o risco de prescrever e assim não dar o devido lucro aos cofres do Estado.
Portanto, o cliente é o Estado! E alegremente até se continua inscrito na OA! Ena para a isenção. Ena para a nossa independência!

ATA disse...

Com a minha ironia era o que pretendia dizer...mas o que não entendo são os simples juristas, compreendo que para este trabalho rotineiro não haja a necessidade de contratar advogados, explica-me a diferença, pois eu não tenho duvida que existam. A sério não sei.