16/03/2008

Delegação de Vila Nova de Gaia

Há um ano atrás a Delegação da Ordem, recebia uma "ordem" de despejo. "Espaço precisamos de espaço, para reorganizar o Tribunal".
Um ano passou e o antigo 7.º Juízo cível foi extinto e deu lugar ao Juízo de execução do tribunal da comarca de Vila Nova de Gaia.
A Delegação da Ordem, em Gaia e sublinhe-se Gaia, tem instalações no próprio Tribunal da Comarca. Instalações que não encontramos em nenhuma das mais de 200 que existem em Portugal. Portugal este País à beira mar plantado.
Para mim, felizmente que as tem, elas existem e aqui continuam, de pedra e cal.
Foram dias complicados, mas soube bem chegar ao fim e continuar aqui.
Eu espero e acredito que ad aeternum assim continuará, se bem que sei e não me canso de ouvir, mira que tonta es, mas a malta acredita e tem fé. Em tudo, quase tudo, apesar do ser humano já ter visto melhores dias e classificações neste nosso ranking continuamos a acreditar.
Mas nunca se sabe o que de repente poderá vir por aí.
Para já aqui estamos. Feliz e infelizmente.
Se digo "infelizmente", digo-o porque todas as Delegações deveriam ser assim. Deveriam ter estas condições e esta possibilidade, ainda que Humana, de prestar o tão famigerado e bradado, tal qual as palavras de Pilatos o foram na Paixão de Cristo, serviço público. Apoio ao cidadão. O mais singelo auxílio que se possa pensar. Não só aos Colegas. A todos. O preencher um simples requerimento, um simples papel, ao comum Sr. Ambrósio que não conhecemos de lado nenhum mas que ali entra, desesperado e confuso porque não entende o que quer dizer aquele papel que recebeu em casa. E mesmo que o entenda, não sabe como e o que deve fazer. Para que assim possa fazer valer um direito. Um simples direito. E o retorno? O retorno é o simples Obrigado que ouvimos.


Isto tudo porque, para além de querer assinalar a data que me é tão cara, este tema, ainda que en passant, foi ontem aflorado. E nós gostamos de temas en passant aflorados... Bem, mas quando ontem conversava com amigos também em relação a isto, a simples acção humana de ajuda ao próximo, percebemos, como se dúvidas houvesse, que cada vez menos é assim. Infelizmente. A ajuda. Aquela que é feita sem mais. Aquela que não aguarda retorno monetário.
Felizmente, e é também por isso que eu digo felizmente, a Delegação cá está. Continua. De pedra e cal. Porque nem todos os Ambrósio's são iguais e sabem que o Obrigado é mais que suficiente.
Pena tenho que não imaginem o quão suficiente é e nos enche a alma.

3 comentários:

Renato Ribeiro disse...

Apesar de estar há relativamente pouco tempo a exercer nesta nossa Comarca (ainda na fase de estágio), sou e sempre fui 1 cidadão Gaiense, atento e interessado a tudo o que diz respeito a nossa cidade!
Por isso mesmo, posso afirmar com toda a certeza que a Delegação da Ordem dos Advogados de Gaia, em todos os seus aspectos é realmente 1 grande motivo de orgulho, não só para quem exerce todos os dias esta nobre profissão, mas tb para o comum cidadão.
Tenho amigos, espalhados por esse Portugal, e sei que nenhum deles tem as condições que temos por aqui...
Neste Pais de "desordens" e onde muitas vezes impera o "safe-se quem puder" e o "assim está bom!", a nossa Delegação é de facto 1 exemplo a seguir.
Sei, por alguma experiencia própria noutros "campos", que não é nada fácil para quem está a frente das coisas e tem de dar o seu suor por elas todos os dias... muitas vezes sacrificando a sua própria vida pessoal em prol de 1 bem comum! e por isso vos peço, continuem o bom trabalho e não se deixem esmurecer!
Da minha parte, podem contar com o pequenino apoio que possa dar em tudo aquilo que entenderem.

Abraços e Beijinhos,

Renato Ribeiro
13352-P

Prata disse...

A delegação da O.A. de Vila Nova de Gaia carrega nos ombros o honroso peso de uma exemplar tradição de competência, excelência e qualidade de trabalho. Qualidades em primeiro lugar colocadas ao serviço de todos os colegas sem excepção, mas reflexamente e por consequência ao serviço de toda a comunidade. Apraz-me sublinhar o cada vez mais raro momento de lucidez daqueles que têm a (in)capacidade de decidir e que desta vez conseguiram tomar a decisão correcta....a exceção confirma a regra.
Parabéns pelo vosso trabalho e espero que mantenham viva a tradição.

Anónimo disse...

Conforme prometido, escrevo ou melhor vou "postar" o meu comentário a quem me merece pelo menos algumas palavras, senão muitas, pelo menos boas, como as atitudes que se querem e se vão vendo...
É bem certo que a " A palavra escrita ajuda a escutar a voz humana"(Marguerite Yourcenar dixit), exemplo disso é este blog que tão discretamente me chama a atenção para questões que por mera distracção ou singelo desleixe me passariam ao lado...
Da mesma forma, A Delegação de Gaia tem vindo a crescer tanto em consideração como em competência, com o que hoje chamam de transparência e eu singelamente chamo de "Princípios", fazendo da excepção o que devia ser a regra!

Por isso, porque tenho o estranho hábito de cumprir com o que me comprometo fazer, e porque o reconhecimento é um sentimento em vias de extinção, gostava de deixar os meus parabéns ao trabalho, amizade e enriquecimento prestado.

O meu sincero obrigado por não me deixarem sozinha naqueles que são os meus valores, que felizmente são também os nossos (Delegação) e que infelizmente não são, mas deviam ser os valores da Voz Humana.

Beijinhos,

Sofia Sá Figueiredo