28/12/2007

Ecoteca By Do.Diferente dos Outros

"As colinas são azuis por elas mesmas;
por elas mesmas, brancas são as nuvens."
Poema Zen, de Herberto Hélder.
Esta é uma das muitas frases que se encontram ao de leve escritas nas inúmeras capas dos caderninhos da Ecoteca. Coisas simples, mas sempre diferentes, talvez por isso únicas. Coisas que eu adoro. Simples e únicas.
Este Natal não foi excepção e recebi mais um desses caderninhos.
Aquela é a frase que o acompanha. Tem o seu quê de português escrito de uma forma que aprecio. Curiosamente pertence, sim que as linhas escritas pertencem, a um escritor que não admiro por aí além e muito menos devoro como faço a um rissolinho de leitão. Não gosto de linhas tristonhas, taciturnas. A melancolia pode ser boa mas em doses qb. E, até nelas, nas linhas, deve ser em dose reduzida. Mas isto sou eu que assim penso.
O presente do ano passado trazia as linhas de Ben Ammar, Muhammad Ben Ammar,
"Meus olhos resgataram o que está preso na página:
o branco do branco e o preto do preto."
Com linhas como estas como é possível não se gostar de coisas simples?

1 comentário:

JM Coutinho Ribeiro disse...

Caríssima Patricia, permita-me um reparo, que é por bem. Por que tem aquela foto no seu blogue? Olhando-a, está longe da frescura que tem quando a vejo pelo Natal em família e quando a vi ao vivo. Aquela foto não é boa. E desculpe qualquer coisa, que foi por bem :-)