18/09/2007

Fui ao Teatro!

Sim, nem só de filmes, livros e música vive uma pessoa...

Convidada e arrastada, no primeiro convite, ai que não, eu vou lá ver alguma vez uma coisa do La Feria, não faltava mais nada, a eterna lei da gravidade, portanto.
Bem, arrastada mas agradavelmente e em boa hora arrastada, diga-se, pelos Miúdos, que estão de volta (não há furacão que os apanhe) fui ver o Jesus Cristo Superstar.
Uma palavra: soberbo! Recomendo. Principalmente a quem, tal como eu, tem teorias inabaláveis em relação a quase tudo e todos. Até ficamos com dor nas palmas das mãos. Soberbo.
Algumas notas:
Detesto esta minha "vocação" para gostar dos maus! Pedro Bargado vai longe. Contrariamente aos Actos dos Apóstolos, não se lobriga nenhuma figueira ou pedras, a este Judas, no horizonte.
O marketing vive! Não é só com o La Feria presente e sentado no início, intervalo e fim do espectáculo na mesa de distribuição de autógrafos e outros artigos estrategicamente colocada na entrada do Rivoli. Merchandising puro, claro. Daqueles com "sucesso". E não é só nisso que se nota. É óbvio que um dos patrocinadores é a Sagres. Basta olhar para as cores usadas nos cartazes e outdoors. As cores usadas e o tipo de letra não enganam...
O público? Bem, o público é uma mescla total. Mas tudo muito bem comportadinho.
S., Miúda, a Wanda Stuart não faz, definitivamente, parte do elenco! Não mudes as lentes, não... Afinal o furacão deu cabo dos teus vidrinhos!

2 comentários:

Funes, o memorioso disse...

Eu tenho teorias inabaláveis em relação a quase tudo e todos. E preferia ser encarcerado para sempre em Alcatraz ou Sing-Sing, a ser arrastado para uma peça do La Feria ou a elogiar o modo como os "Lobos" cantam o hino.

Patricia Lousinha disse...

Excelência, outra coisa não seria de esperar...
Quanto às prisões, muito bom gosto, sim senhor!
Mas até nisso não seria de esperar a falta de tal.
Aquilo a que chama de teorias inabaláveis e, acredite que eu sei bem o que são teorias inabaláveis, denomino de malaleche!