29/09/2007

Exemplos a seguir

Sempre fui adepta e acérrima defensora da Praxe. Do espírito académico. Das tradições. De tudo o que envolve e acarreta. Nomeadamente o day after... e as épocas tramadas de exames e orais, porque nem sempre as directas em cima de directas produziam bons resultados. Mas produziam e produziram coisas muito boas, positivas. Inesquecíveis. Ó ó se produziram! E eu, que sou acérrima em quase tudo, sou agora uma acérrima defensora da saudade. Defensora desses tempos. Até das olheiras... Vejam bem ao que uma pessoa chega!
Dura Praxis Sed Praxis. Sem mais. E quando vejo que os caloiros de Beja, da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Beja, foram praxados com trabalhos de limpeza da mata municipal , fico orgulhosa. Orgulhosa quando confirmo que a minha maneira de ver e sentir a praxe se mantém inalterável. E que é a mesma desde '93. Só espero que as AE por este imenso Portugal académico espalhado, principalmente aquelas onde os veteranos usam a tradição de forma vil, torpe, prepotente e reles, sim, que eu também sei que não há bela sem senão, aprendam e repitam iniciativas como esta.
Parabéns aos Caloiros, à Associação de Estudantes, aos Professores da ESTIG. E sim, parabéns aos alunos veteranos. A estes veteranos!
Parabéns, em particular, ao Prof. Hugo Lança Silva.
Em suma, parabéns por esta limpeza!

2 comentários:

H disse...

Obrigado Patrícia.
Beijinho

Funes, o memorioso disse...

A praxe, em qualquer das suas modalidades, é das coisas mais aberrantes e abjectas que conheço.