05/08/2007

Tempo de férias

Férias, substantivo feminino, do Lat. ferias, que no plural significa dias de suspensão dos trabalhos oficiais; folga; descanso, repouso.
Há muitas formas de descanso, sem dúvida. Entre aqueles mais comuns e que todos nós gostamos de ter, o solinho, a água do mar, a ausência de horários, as mudanças de vistas em todos os sentidos, mantenho, desde quase sempre o hábito de fazer e ter férias acompanhada de livros e filmes que já li e vi a par de outros completamente novos para os meus sentidos. Por isso quero ver e rever, ler e reler:
A sombra do vento, de Carlos Ruiz Zafón. Porque o folheei na FNAC e prendeu-me na leitura. Porque se passa em Barcelona e porque teve a sua graça ler ler o post Luz nos Dias Úteis do Pedro Ribeiro.
A memória dos Bacalhoeiros, do Capitão António Marques da Silva. Porque fala do mar. Da pesca de bacalhau da Terra Nova. Dos barcos e das memórias dos "pequenos mundos de madeira". E de Aveiro, claro.
Voltar a ler O Riso de Deus, de António Alçada Baptista. Porque é um dos autores portugueses que mais gosto.
António Victorino D’Almeida Conta 50 Anos na Música a Paulo Sérgio dos Santos Porque me foi oferecido e nunca tive o devido tempo para o ler como deve ser. E porque o prefácio tem a caneta da Ana Dinger. Só isso já basta.
Shrek, O Terceiro, Tudo sobre a minha Mãe,
Rapariga com brinco de pérola,
Os condenados de Shawshank,
Traffic, ninguém sai ileso,
Chocolat.
Ao contrário das letras as imagens serão, quase todas, para rever.

A nata da nata é o DOT.COM.
Um filme de Luís Galvão Teles, filmado em Dornes.
Também por isso e mesmo sem o som da banda filarmónica da Frazoeira, com Vossa licença, que a sessão começa dentro de momentos!

7 comentários:

garina do mar disse...

obrigada pela visita! e palavra que o livro vale a pena!!
penso que o único sítio onde estará à venda é na FNAC porque foi feita uma 2ª edição mas muito pouco divulgada...

Patricia Lousinha disse...

Ora essa! Tudo que cheire a mar, lembra-me Aveiro, a minha cidade de coração. :)
E não preciso de o comprar, já cá estava em casa. Quando estive a remexer a secção de livros para ler em férias, dei com ele!

Paulo Sempre disse...

Um blogue de elevado interesse...

Didas disse...

Oh meu deus, como eu preciso de férias! Longe de Aveiro, de preferência. Não é por nada... :)

H disse...

Senhora Dr Trenga, A sombra do vento é absolutamente extraordinário!
Sobre as férias... ambos sabemos que os Advogados não precisam! Como as coisas andam, em breve têm férias o ano todo...

Anónimo disse...

Cara Colega,
Nos termos do disposto nos artigos 229º-A e 260º, do CPC, fica V. Exa. notificada da extrema validade das sugestões apresentadas. Devo acentuar o carácter instrutivo e deveras pedagógico d'"A Memória dos Bacalhoeiros".
Cumprimentos (mais ou menos)estivais.

João Pinto Ferreira (Baldrick)

Patricia Lousinha disse...

Sr.ª D.ª Didas,
Excelência,
Dia 3 é já na próxima segunda-feira!
Tenho pena que não sinta o mesmo que moi même em relação a tão bela - em todos os sentidos - Terra.
Sou um bocadinho fanática, confesso...
Sr. Dr. H,
A Sombra do Vento é bem mais que "absolutamente extraordinário".
É lindo!
(palavra de honra que não fumei nada! É mesmo lindo!)
A parte em que escreves "ambos sabemos que os Advogados não precisam!" era dispensável... O Senhor não "goze" com a malta!
Sr. Dr. JotaPêÉfe,
Espero que para teu bem o comentário não seja irónico! E não, não é nenhuma ameaça...
Considera um aviso! ;)